Obesity in women, defined as BMI over 30, is considered a chronic disease and a global pandemic

A obesidade é uma doença crônica que requer um tratamento
a longo prazo1-5

A obesidade é uma doença crônica que requer um tratamento a longo prazo1-5

 

As associações profissionais reconhecem a obesidade como um problema de saúde global que exige um "modelo de tratamento de doenças crônicas"1-5
 

Organização Mundial de Saúde (OMS)

"A obesidade é uma doença crônica, prevalente em países desenvolvidos e em desenvolvimento, e que afeta as crianças, assim como os adultos"1

 

American Medical Association (AMA)

"Reconhecendo a obesidade como uma doença, vai ajudar a mudar a forma como a comunidade médica aborda esta questão complexa, que afeta aproximadamente um em cada três americanos"2

 

American Association of Clinical Endocrinologists (AACE)

"...A obesidade é uma doença primária, e toda a força do nosso conhecimento médico deve ser exercida sobre a prevenção e tratamento da obesidade como uma entidade de doença primária3

 

Associação Brasileira para o Estudo da Obesidade e da Síndrome Metabólica (ABESO)

"...a obesidade é uma doença crônica. O tratamento medicamentoso não cura a obesidade, mas pode controlar a doença e diminuir as comorbidades.”20

 

The Obesity Society (TOS)

É a posição oficial da The Obesity Society que a obesidade deve ser considerada uma doença.4
 
 

A obesidade é uma doença complexa influenciada por múltiplos fatores14:

  • Genéticos
  • Fisiológicos
  • Ambientais 
  • Psicológicos

 

A prevalência global da obesidade tem aumentado significativamente6

A obesidade é considerada uma pandemia6

A obesidade é considerada uma pandemia.6

 

A prevalência global da obesidade tem aumentado significativamente
nos últimos 30 anos6

 

As of 2012, more than one in three US citizens were obese – some morbidly obese.


Classificação baseada no IMC1

Classificação

   

IMC1

Abaixo do Peso

   

< 18,5

Faixa normal

   

≥ 18,5 e < 25

Sobrepeso

   

≥ 25 e < 30

Obeso

   

≥ 30

Obeso, classe I

   

≥ 30 e < 35

Obeso, classe II

   

≥ 35 e < 40

Obeso, classe III

   

≥ 40

 


 

Definição de obesidade  

  • A obesidade é definida pela Organização Mundial da Saúde (OMS) como o acúmulo anormal ou excessivo de gordura corporal que pode comprometer a saúde1
  • O IMC (Índice de Massa Corporal) fornece uma medida conveniente da obesidade a nível populacional1

IMC = peso em quilogramas dividido pelo quadrado da altura em metros (kg/m2).1

 

A obesidade está associada à múltiplas comorbidades7-10
The effects of obesity are many and the comorbidities of obesity can be a threat to a person’s health.

A obesidade está
associada à múltiplas
comorbidades7-10

A obesidade está associada com múltiplas comorbidades7-10
 

There are multiple negative health effects of obesity (comorbidities), including type 2 diabetes, osteoarthritis, sleep apnea, various forms of cancer, and some types of cardiovascular disease.
O risco de mortalidade é significativamente maior.11

O risco de
mortalidade é significativamente maior11

O risco de mortalidade é significativamente maior.11

 

Pesquisa mostrou uma redução de até 10 anos na expectativa de vida.
 

 Increased BMI is associated with decreased life expectancy – obesity and life expectancy are closely related.
A obesidade está associada com comprometimento da funcionalidade física e maiores custos com a saúde.12,13
Obese men with a BMI over 30 are at risk of impaired physical functioning and meeting higher health care costs.

A obesidade está associada com comprometimento da funcionalidade física e maiores custos no cuidado com a saúde12,13

A obesidade está associada com o comprometimento da funcionalidade física12


Quanto maior o IMC, maior é o risco de comprometimento da funcionalidade física, o que pode incluir limitações nas atividades de mobilidade, como caminhar e se vestir12,16
 

The negative effects of obesity can be seen in the impact on physical functioning compared to normal BMI.

 

As pessoas com obesidade nos EUA têm maiores custos no cuidado com a saúde.13


Com o aumento dos gastos médicos, o impacto econômico da obesidade pode se tornar um fardo para ambos os contribuintes públicos e privados13
 

There is an economic impact of obesity as people with obesity have higher health care costs than those with normal weight in the United States.
Manter a perda de peso é um desafio17,18


Referências:

1. World Health Organization. Obesity: preventing and managing the global epidemic. Report of a WHO consultation. World Health Organ Tech Rep Ser. 2000;894:1-253. 2. American Medical Association. AMA adopts new policies on second day of voting at annual meeting. http://www.ama-assn.org/ama/pub/news/news/2013/2013-06-18-new-ama-policies-annual-meeting.page. Accessed March 11, 2015. 3. Mechanick JI, Garber AJ, Handelsman Y, Garvey WT. American Association of Clinical Endocrinologists' position statement on obesity and obesity medicine. Endocr Pract. 2012;18(5):642-648. 4. Allison DB, Downey M, Atkinson RL, et al. Obesity as a disease: a white paper on evidence and arguments commissioned by the Council of the Obesity Society. Obesity. 2008;16(6):1161-1177. 5. Jensen MD, Ryan DH, Apovian CM, et al; American College of Cardiology/American Heart Association Task Force on Practice Guidelines; Obesity Society. 2013 AHA/ACC/TOS guideline for the management of overweight and obesity in adults: a report of the American College of Cardiology/American Heart Association Task Force on Practice Guidelines and The Obesity Society. J Am Coll Cardiol. 2014;63(25 pt B):2985-3023. 6. Ng M, Fleming T, Robinson M, et al. Global, regional, and national prevalence of overweight and obesity in children and adults during 1980-2013: a systematic analysis for the Global Burden of Disease Study 2013. Lancet. 2014;384(9945):766-781. 7. Guh DP, Zhang W, Bansback N, Amarsi Z, Birmingham CL, Anis AH. The incidence of co-morbidities related to obesity and overweight: a systematic review and meta-analysis. BMC Public Health. 2009;9:88. 8. Must A, Spadano J, Coakley EH, Field AE, Colditz G, Dietz WH. The disease burden associated with overweight and obesity. JAMA. 1999;282(16):1523-1529. 9. Li C, Ford ES, Zhao G, Croft JB, Balluz LS, Mokdad AH. Prevalence of self-reported clinically diagnosed sleep apnea according to obesity status in men and women: National Health and Nutrition Examination Survey, 2005-2006. Prev Med. 2010;51(1):18-23. 10. Bhaskaran K, Douglas I, Forbes H, dos-Santos-Silva I, Leon DA, Smeeth L. Body-mass index and risk of 22 specific cancers: a population-based cohort study of 5.24 million UK adults. Lancet. 2014;384(9945):755-765. 11. Prospective Studies Collaboration, Whitlock G, Lewington S, et al. Body-mass index and cause-specific mortality in 900 000 adults: collaborative analyses of 57 prospective studies. Lancet. 2009;373(9669):1083-1096. 12. Hopman WM, Berger C, Joseph L, et al. The association between body mass index and health-related quality of life: data from CaMos, a stratified population study. Quad Life Res. 2007;16(10):1595-1603. 13. Finkelstein EA, Trogdon JG, Cohen JW, Dietz W. Annual medical spending attributable to obesity: payer- and service-specific estimates. Health Aff (Millwood). 2009;28(5):w822-w831. 14. Obesity Education Initiative; National Heart, Lung, and Blood Institute; National Institutes of Health; US Department of Health and Human Services. Clinical Guidelines on the Identification, Evaluation and Treatment of Overweight and Obesity in Adults: The Evidence Report. Bethesda, MD: National Institutes of Health; 1998. NIH publication 98-4083. 15. IBGE, Diretoria de Pesquisas, Coordenação de Trabalho e Rendimento, Pesquisa Nacional de Saúde 2013. http://biblioteca.ibge.gov.br/visualizacao/livros/liv94074.pdf. Acessado em Fevereiro/2016. 16. Sydall HE, Martin HJ, Harwood RH, Cooper C, Sayer AA. The SF-36: a simple, effective measure of mobility-disability for epidemiological studies. J Nutr Health Aging. 2009;13(1):57-62. 17. Mann T, Tomiyama AJ, Westling E, Lew AM, Samuels B, Chatman J. Medicare's search for effective obesity treatments: diets are not the answer. Am Psychol. 2007;622(3):220-233. 18. MacLean PS, Wing RR, Davidson T, et al. NIH working group report: innovative research to improve maintenance of weight loss. Obesity (Silver Spring). 2015;23(1):7-15. 19. ABESO. Atualização das Diretrizes para o Tratamento Farmacológico da Obesidade e do Sobrepeso. http://www.abeso.org.br/uploads/ downloads/2/5521af637d07c.pdf Acessado em Fevereiro/2016.  20. Departamento de Obesidade da SBEM, ABESO - Associação Brasileira para o Estudo da Obesidade e Síndrome Metabólica. Informações científicas. http://www.endocrino.org.br/ posicionamento-oficial-sibutramina-obesidade/ Acessado em 10/3/2016.