Obese men and women who are struggling to lose weight need professional guidance and weight loss counseling to stay on track for a better health.

Boas-vindas e introdução

Melhores práticas para motivar os seus pacientes a perder peso e fazer mudanças de estilo de vida saudáveis

Boas-vindas e introdução

 

Melhores práticas para motivar os seus pacientes a perder peso e fazer mudanças de estilo de vida saudáveis

A obesidade é uma doença complexa e crônica,1 “influenciada por fatores genéticos, psicológicos, ambientais, sociais, econômicos e politicos”,2 que deve ser tratada por profissionais de saúde.1 Como um profissional de saúde, você está especialmente qualificado para iniciar e guiar seus pacientes pelo processo de perda de peso, manutenção do peso e melhora da saúde.

 

  • Conversas e aconselhamento iniciados pelo médico a respeito de perda de peso encorajam os pacientes a mudarem o seu comportamento em realação à perda de peso3
  • Aconselhamento de profissionais de saúde podem ter um efeito positivo sobre a ação do paciente em relação ao controle do peso3
  • Alcançar e manter a perda de peso requer uma intervenção a longo prazo1


Simplesmente por reconhecer as complexidades do excesso de peso e as implicações de tratar a condição, você está pronto para ajudar seus pacientes a melhorar seu peso, e, como resultado, sua saúde.
 

Visão geral do conteúdo
 

Para facilitar uma boa conversa com seus pacientes, pode ser útil usar técnicas, incluindo entrevista motivacional e terapia comportamental. O objetivo deste material educacional é apresentar uma base para estas técnicas, que esperamos que permitam que você tenha uma consulta eficaz sobre o peso com os seus pacientes.

Além disso, o material educacional é um recurso de base para o Guia de Discussão, que fornece pontos específicos e questões que podem ser usados diretamente na consulta com os pacientes. Além disso, os links para as orientações atuais de tratamento da obesidade estabelecidas pela Associação Americana de Endocrinologistas Clínicos (AACE), publicada em 2014, são fornecidas para referência. Existem várias diretrizes de manejo da obesidade, então você pode encontrar uma outra que melhor se adequa à sua prática, e para isso nós incluímos endereços da Web para outros recursos e diretrizes.

 

As seções a seguir abordam os seguintes tópicos:

  • Entrevista motivacional
  • Pontos-chaves para conversas de sucesso
  • Terapia comportamental
  • Visão geral de tratamento
Faça o download do material completo de Educação Profissional
Faça o download do material de Educação Profissional

Faça o download do material de Educação Profissional

Metas e Objetivos

Metas e Objetivos


O objetivo deste recurso é permitir que você:

  • Utilize estratégias e princípios de entrevista motivacional
  • Tenha conversas bem-sucedidas com seus pacientes
  • Implemente terapia comportamental no tempo existente das consultas
  • Obtenha melhor compreensão das diretrizes de tratamento

Os 5As de Tratamento da Obesidade™

  • Ask (Perguntar)
  • Assess (Avaliar)
  • Advise (Aconselhar)
  • Agree (Concordar)
  • Assist (Auxiliar)

Os 5As de Tratamento da ObesidadeTM


O modelo 5As foi originalmente concebido como uma estratégia de intervenção comportamental, com o objetivo de ajudar pacientes a parar de fumar.O modelo foi modificado para o tratamento da obesidade para os profissionais de saúde usarem como um quadro para orientar uma conversa. O modelo 5A tem sido associado com o aumento da motivação do paciente e mudança de comportamento quando usado por médicos em consultas de controle de peso.5

 

A 5As para tratamento da obesidade são os seguintes6:
 

1. Ask (Perguntar)

  • Peça permissão para discutir sobre o peso
  • Explore a disposição por mudança

2. Assess (Avaliar)

  • Avalie a classe e o estágio da obesidade
  • Avalie causas, complicações e barreiras

3. Advise (Aconselhar)

  • Aconselhe sobre os riscos da obesidade
  • Explique os benefícios da perda modesta de peso
  • Explique a necessidade de uma estratégia a longo prazo
  • Discuta as opções de tratamento

4. Agree (Concordar)

  • Entre em acordo com as expectativas de perda de peso realistas
  • Concentre-se em metas comportamentais (SMART) e resultados à saúde
  • Entre em acordo quanto ao plano de tratamento

5. Assist (Auxiliar)

  • Aborde causas e barreiras
  • Forneça informação e recursos
  • Indique profissionais relevantes
  • Providencie acompanhamento


Para mais informações sobre o 5As of Controle de ObesidadeTM, visite www.obesitynetwork.ca/5As.

Links adicionais para orientações podem ser encontrados na página 26 do material.
 

Entrevista Motivacional 7


Referências:

1. World Health Organization. Obesity: preventing and managing the global epidemic. Report of a WHO consultation. World Health Organ Tech Rep Ser. 2000;894:1-253. 2. American Medical Association. AMA adopts new policies on second day of voting at annual meeting. http://www.ama-assn.org/ama/pub/news/news/2013/2013-06-18-new-ama-policies-annual-meeting.page. Accessed March 11, 2015. 3. Mechanick JI, Garber AJ, Handelsman Y, Garvey WT. American Association of Clinical Endocrinologists' position statement on obesity and obesity medicine. Endocr Pract. 2012;18(5):642-648. 4. Allison DB, Downey M, Atkinson RL, et al. Obesity as a disease: a white paper on evidence and arguments commissioned by the Council of the Obesity Society. Obesity. 2008;16(6):1161-1177. 5. Jensen MD, Ryan DH, Apovian CM, et al; American College of Cardiology/American Heart Association Task Force on Practice Guidelines; Obesity Society. 2013 AHA/ACC/TOS guideline for the management of overweight and obesity in adults: a report of the American College of Cardiology/American Heart Association Task Force on Practice Guidelines and The Obesity Society. J Am Coll Cardiol. 2014;63(25 pt B):2985-3023. 6. Ng M, Fleming T, Robinson M, et al. Global, regional, and national prevalence of overweight and obesity in children and adults during 1980-2013: a systematic analysis for the Global Burden of Disease Study 2013. Lancet. 2014;384(9945):766-781. 7. Guh DP, Zhang W, Bansback N, Amarsi Z, Birmingham CL, Anis AH. The incidence of co-morbidities related to obesity and overweight: a systematic review and meta-analysis. BMC Public Health. 2009;9:88. 8. Must A, Spadano J, Coakley EH, Field AE, Colditz G, Dietz WH. The disease burden associated with overweight and obesity. JAMA. 1999;282(16):1523-1529. 9. Li C, Ford ES, Zhao G, Croft JB, Balluz LS, Mokdad AH. Prevalence of self-reported clinically diagnosed sleep apnea according to obesity status in men and women: National Health and Nutrition Examination Survey, 2005-2006. Prev Med. 2010;51(1):18-23. 10. Bhaskaran K, Douglas I, Forbes H, dos-Santos-Silva I, Leon DA, Smeeth L. Body-mass index and risk of 22 specific cancers: a population-based cohort study of 5.24 million UK adults. Lancet. 2014;384(9945):755-765. 11. Prospective Studies Collaboration, Whitlock G, Lewington S, et al. Body-mass index and cause-specific mortality in 900 000 adults: collaborative analyses of 57 prospective studies. Lancet. 2009;373(9669):1083-1096. 12. Hopman WM, Berger C, Joseph L, et al. The association between body mass index and health-related quality of life: data from CaMos, a stratified population study. Quad Life Res. 2007;16(10):1595-1603. 13. Finkelstein EA, Trogdon JG, Cohen JW, Dietz W. Annual medical spending attributable to obesity: payer- and service-specific estimates. Health Aff (Millwood). 2009;28(5):w822-w831. 14. Obesity Education Initiative; National Heart, Lung, and Blood Institute; National Institutes of Health; US Department of Health and Human Services. Clinical Guidelines on the Identification, Evaluation and Treatment of Overweight and Obesity in Adults: The Evidence Report. Bethesda, MD: National Institutes of Health; 1998. NIH publication 98-4083. 15. IBGE, Diretoria de Pesquisas, Coordenação de Trabalho e Rendimento, Pesquisa Nacional de Saúde 2013. http://biblioteca.ibge.gov.br/visualizacao/livros/liv94074.pdf. Acessado em Fevereiro/2016. 16. Sydall HE, Martin HJ, Harwood RH, Cooper C, Sayer AA. The SF-36: a simple, effective measure of mobility-disability for epidemiological studies. J Nutr Health Aging. 2009;13(1):57-62. 17. Mann T, Tomiyama AJ, Westling E, Lew AM, Samuels B, Chatman J. Medicare's search for effective obesity treatments: diets are not the answer. Am Psychol. 2007;622(3):220-233. 18. MacLean PS, Wing RR, Davidson T, et al. NIH working group report: innovative research to improve maintenance of weight loss. Obesity (Silver Spring). 2015;23(1):7-15. 19. ABESO. Atualização das Diretrizes para o Tratamento Farmacológico da Obesidade e do Sobrepeso. http://www.abeso.org.br/uploads/ downloads/2/5521af637d07c.pdf Acessado em Fevereiro/2016.  20. Departamento de Obesidade da SBEM, ABESO - Associação Brasileira para o Estudo da Obesidade e Síndrome Metabólica. Informações científicas. http://www.endocrino.org.br/ posicionamento-oficial-sibutramina-obesidade/ Acessado em 10/3/2016.